PREVINA SE CONTRA: ENTORSE DE TORNOZELOS

PREVINA SE CONTRA: ENTORSE DE TORNOZELOS
8 meses atrás

A entorse de tornozelo é caracterizada pelo movimento lateral ou medial repentino da articulação, e como consequência pode ocorrer à hiperdistensão ou até mesmo ruptura dos ligamentos. Segundo pesquisas a entorse do tornozelo é uma das lesões aguda de maior acometimento na população mundial, e a mais frequente durante a prática esportivas, correspondendo aproximadamente 25% das lesões.

A articulação do tornozelo é composta pelos ossos da perna (tíbia e fíbula) e pelo tálus (osso do pé). A tíbia e a fíbula formam uma pinça onde o talus se encaixa, e esta conformação óssea é mantida no lugar por um conjunto de ligamentos de três grupos:

Ligamentos laterais: (talofibular anterior, Calcaneofibular e talofibular posterior).

Ligamentos mediais: (deltoide superficial e profundo).

Ligamentos sindesmóticos: união da tíbia com a fíbula, (tibiofibular anterior e posterior e a membrana interossea).

A estabilidade lateral do tornozelo é dada pelo mecanismo contensor dos ligamentos talofibular anterior, posterior e talo-calcâneo, associada ao terço distal da fíbula. O mecanismo de lesão habitual é a inversão do pé com flexão plantar do tornozelo, numa intensidade além do normal, que acontece geralmente ao pisar em terreno irregular ou degraus. Este movimento anômalo proporciona uma lesão que se inicia no ligamento talo-fibular anterior e pode progredir para uma lesão do ligamento calcâneo-fibular.

Causas:

Desequilíbrio e fraqueza muscular, principalmente pernas;

Ligamentos frouxos e lesões anteriores;

Pisos irregulares: um degrau inesperado, um desnível no piso, um buraco;

Uso de calçados inadequados como, saltos altos, sapatos muito largos, entre outros;

Pisada supinada causa maior sobrecarga na parte externa, fazendo com que o pé realize um movimento exagerado “para fora”;

Pisada pronada causa maior pressão na parte interna fazendo com que o pé realize um movimento exagerado “para dentro”;

Movimentos de rotação bruscos entre outros.

Principais Sintomas:

Vermelhidão e aumento da temperatura local;

Dor de intensidade variada, dependendo do grau da lesão;

Inchaço de tornozelo (edema) a área pode ficar inchada e arroxeada;

Sensibilidade ao tocar na região lateral do tornozelo e do pé.

Havendo algum desses sintomas, um exame físico deve ser realizado pelo médico especializado (fisioterapeuta ou ortopedista), para indicação do melhor tratamento a ser realizado.

Tratamento:

Quase todas as entorses de tornozelos quando tratadas adequadamente, podem curar sem reparos cirúrgicos, porem quando negligenciadas podem levar a sequelas graves.

O tratamento inicial consiste em repouso, aplicação local de gelo, anti-inflamatórios não hormonais e imobilização do tornozelo, visando diminuição da dor, cicatrização do ligamento e a redução do inchaço.

Nas lesões leves, o tratamento com manutenção da imobilização até a melhora dos sintomas, pode durar entre uma e duas semanas.

Referências:

Fernandes TL; A; Pedrinelli A; Hernandez AJ. Lesão muscular – fisiopatologia, diagnóstico, tratamento e apresentação clínica. Rev. bras. ortop. vol.46 no. 3 São Paulo  2011.

Souza CA, et al. Principais lesões em corredores em diferentes tipos de provas. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício – Volume 13 Número 2 – março/abril 2014.

Resende TL; Souza ALV. Benefícios dos Exercícios Proprioceptivos na prevenção da Entorse de Tornozelo. Corpus et Scientia. V. 8, n. 1, p., jun. 2012.

Araújo MK, et al. Lesões em praticantes amadores de corrida. Revista brasileira de ortopedia, v. 50, n. 5, p. 537-540, 2015.

https://www.saudebemestar.pt/pt/clinica/ortopedia/entorse-de-tornozelo/